Wednesday, 13 March 2019

CURSO EN LÍNEA CINCO SESIONES DE POESÍA Y POLÍTICA



PoePolit y la Universidad de Campeche (México) organizan un curso en línea de poesía y política, abierto tanto para el público universitario como para todas las personas interesadas en realizarlo. Se distribuye en cinco sesiones de 2 horas y media cada una, para las que se repartirán con anterioridad materiales de trabajo entre las personas inscritas.


DESCRIPCIÓN:

El curso en línea “Cinco Sesiones de Poesía Actual y Política” forma parte de las actividades derivadas del proyecto de investigación internacional “Poesía Actual y Política: Análisis de las relaciones contemporáneas entre producción cultural y contexto sociopolítico” (FFI2016-77584-P). El curso será impartido por destacados investigadores: Dra. Geneviève Fabry, Université Catholique de Louvain (Bélgica); Dra. Tatiana Suárez Turriza, Universidad Pedagógica Nacional (Universidad 041 Campeche); Dr. Burghard Baltrusch, Universidad de Vigo (España); Dra. Iratxe Retolaza Gutierrez, Universidad de El País Vasco (España) y Dra. Cornelia Grabner, Universidad de Lancaster (Reino Unido). La segunda sesión, impartida por la Dra. Tatiana Suárez Turriza, será la única en modo presencial.

“Cinco Sesiones de Poesía Actual y Política” tendrá una duración total de 20 horas: 15 horas efectivas (cada sesión tendrá una duración de tres horas) y 5 horas autoadministrables (para la lectura de los materiales).


OBJETIVO:

En “Cinco Sesiones de Poesía Actual y Política” se analizará la obra de autores contemporáneos, europeos e hispanoamericanos, desde una perspectiva política centrada en el discurso de la resistencia, la subversión, la crítica social, y el feminismo. Los asistentes podrán reflexionar sobre otros climas estéticos que la poesía actual ofrece a través de sus expresiones líricas y no líricas. El curso va dirigido al público universitario y al público en general, no necesariamente especialistas en letras.


TEMAS:

-“Alcance político y poético de las representaciones de Cristo en la poesía de Raúl Zurita”, Geneviève Fabry (Université Catholique de Louvain). Fecha 29 de marzo

Se presentará una visión de conjunto de la obra del poeta chileno Raúl Zurita (*1950), partiendo de un enfoque particular: la figura de Jesucristo es recurrente en su obra y permite analizar las continuidades y las discontinuidades en su trayectoria creativa. La obra de Zurita, especialmente sus trabajos de land art, así como su peculiar uso de intertextos bíblicos, levantó polémicas a la hora de evaluar el alcance político de su práctica artística.


- “Poesía hispanoamericana de la Gran Guerra; poética y política de los lieux de mémoire”, Tatiana Suárez Turriza (Universidad Pedagógica Nacional. Unidad 041 Campeche). Fecha 4 de abril

Se analizarán algunos poemas inspirados en el tema de la Gran Guerra (1914-1918) de los poetas Vicente Huidobro, César Vallejo y Salomón de la Selva.  La lectura partirá de la revisión del concepto de “lugar de memoria” propuesto por Pierre Nora, que sugiere el vínculo del discurso literario con los discursos históricos y políticos. También, se retomarán algunas nociones de teoría estética de Walter Benjamin, para reflexionar sobre el sentido político de la poesía –y de los poetas– a la luz de la modernidad en los albores del siglo XX.


-"Adília Lopes: poesía, ciencia y política", Burghard Baltrusch (Universidad de Vigo). Fecha 12 de abril.

En esta sesión se ofrecerá una introducción general a la obra de una de las autoras más vanguardistas de la poesía portuguesa de las últimas décadas apoyándose, mayoritariamente, en ejemplos traducidos al castellano. Aspectos como la subversión de la tradición literaria, el feminismo, el intertexto literatura-ciencia y la expresión no lírica serán algunas de las líneas temáticas presentadas.


-“El bombardeo de Guernica en la poesía vasca contemporánea”,  Iratxe Retolaza Gutierrez (Universidad de El País Vasco). Fecha 3 mayo

En esta sesión nos aproximaremos a diversas interpretaciones poéticas del bombardeo de Gernika en el campo de la literatura en lengua vasca. Mediante la lectura de poemas dialogaremos sobre este lugar de memoria (el bombardeo de Gernika), y sobre las diferentes maneras de (re)interpretar lo que significó aquel acontecimiento histórico, pero sobre todo, diferentes maneras de interpretar lo que significa y simboliza dicho bombardeo en el presente para algunas de las voces de la literatura vasca.


-“El análisis literario frente al compromiso político-social: ¿Despolitizar o posicionarse?”, Cornelia Grabner (Universidad de Lancaster). Fecha 9 de mayo.

En esta sesión se considerarán las posturas que ha tomado el análisis literario frente al compromiso político-social de escritores del siglo XX y XXI. ¿Cómo debería responder el análisis literario ante textos programáticos y ante la escritura comprometida?


Tuesday, 5 February 2019

Agenda do Instituto de Literatura Comparada Maragarida Losa (UPorto)

Exposição 20 anos do Instituto Margarida Losa
Átrio e Biblioteca central da FLUP
Até 2 de março de 2019
Mais informação em: https://www.facebook.com/ilc.flup/posts/2409055842456969

















Chamada para artigos: Cadernos de Literatura Comparada
Até 15 de fevereiro
Mais informação em: http://ilcml.com/call-for-papers-cadernos-de-literatura-comparada/

















Novos títulos da coleção de Estudos de Literatura Comparada
-O murmúrio das imagens I: poéticas da evidência, Joana Matos Frias
-O murmúrio das imagens II: modos de ver [em] Ruy Cinatti, Joana Matos Frias
-De passagem: artistas de língua alemã no exílio português, Teresa Martins de Oliveira e Maria Antónia Gaspar Teixeira
-Cartas selectas de Werther. Traduzidas do francez, Maria Antonia Gaspar Teixeira
-Modos de ver, modos de escrever. Da imagem e da escrita em Herberto Helder e Jean-Luc Godard, Rita Novas Miranda.

Mais informação em: http://ilcml.com/novos-titulos-da-coleccao-estudos-de-literatura-comparada/

















Concurso Estímulo ao Premio Científico Individual
Até 8 de fevereiro
Mais informações: http://ilcml.com/fct-abre-concurso/



Wednesday, 30 January 2019

Chamada de artigos para o número de junho da revista E-lyra


CHAMADA DE ARTIGOS
HIBRIDISMOS NA POESIA MODERNA E CONTEMPORÂNEA
Revista eLyra #13 (Junho 2019)

Um dos aspectos histórico-literários mais decisivos para a constituição da poesia moderna deriva inequivocamente da progressiva libertação de formas textuais pré-constituídas ou impostas. Neste sentido, a poesia estabeleceu um diálogo prolífico com outras práticas artísticas – tais como as artes visuais, a  performance, o teatro, a narrativa, o cinema, a música, a história em quadrinhos etc. –, passando a incorporar procedimentos mais identificados com outros ofícios e, assim, a habitar uma zona de indiscernibilidade formal.  Com essa perspectiva, propomos  para o número 13 da revista eLyra uma reflexão sobre poesia e hibridismos. Serão aceitos artigos que, orientados num sentido teórico-crítico, ou de análise empírica de obras específicas, permitam ponderar em que medida os hibridismos próprios da modernidade e da contemporanei­dade têm configurações poéticas articuláveis entre si, de modo a sugerir a possibilidade de uma problematização sistemática que possa dar conta não apenas da singularidade de fenómenos particulares, mas tam­bém da transversalidade deste processo de desestabilização das fron­teiras entre as artes, os géneros e as diferentes tipologias discursivas. Serão também aceitas recensões sobre obras poéticas ou teórico-críticas que dialoguem com esses tópicos.

ORGS.:  Ida Alves e Marília Garcia
Prazo para envio de artigos: 30 de abril de 2019
Serão aceitos trabalhos inéditos, de autores doutores ou de doutorandos, nos seguintes idiomas: português, inglês, francês e espanhol.
Não serão aceitos trabalhos que não estejam de acordo com as normas da revista.
Envio das contribuições somente pelo email da revista eLyrarevistaelyra@gmail.com

Friday, 18 January 2019

Xa está dispoñible un vídeo que recolle algúns dos momentos vividos durante o Coloquio PoePolit, celebrado entre os días 20 e 21 de setembro na Universidade do Porto.





Thursday, 10 January 2019

Novo dossier da revista Kamchatka sobre experimentación poética e contracultura nos contextos ditatoriales ibéricos e latinoamericanos



Recentemente publicouse o dossier "Experimentación poética y contracultural en contextos dictatoriales ibéricos y latinoamericanos (1960-1990): colectivos, acciones y reacciones" da revista Kamchatka.

Por unha banda, este dossier inclúe artigos sobre Arxentina, Uruguay, Chile, Ecuador, Euskadi, Galicia, así como sobre redes transnacionais de creación experimental. Ademais, conta cunha antoloxía de poemas visuais da plaquette Sopa de letras (1976), de N. Cacho-Chacón, Hugo Diz e Horacio Sapere. 

Pódese consultar a portada e a introdución na seguinte ligazón e o dossier completo aquí. 


Thursday, 29 November 2018

Exposições sobre José Saramago nas III Jornadas Internacionais

No âmbito das III Jornadas Internacionais José Saramago da Universidade de Vigo, neste que é o ano das comemorações dos 20 anos do Nobel português, a I Cátedra Internacional José Saramago organiza várias exposições sobre o autor português. 

"O Premio Nobel de Saramago na Imprensa Galega"

A primeira é uma exposição inédita intitulada «O prémio Nobel de Saramago na imprensa galega». A 8 de outubro de 1998 foi anunciado que o Prémio Nobel da Literatura era, pela primeira vez, atribuído a um escritor de língua portuguesa. A imprensa global noticiou com apresso e reconhecimento este feito indissociável de toda a lusofonia. 

Na Galiza não foi diferente e, passados 20 anos, as notícias publicadas nos principais jornais galegos aquando do anúncio do Nobel poderão ser visitadas entre os dias 3 e 5 de dezembro, na histórica Casa das Campás, no campus de Pontevedra da Universidade de Vigo. A entrada ao público é gratuita e decorrerá entre as 9h e as 20h. 

A exposição foi organizada por Luísa Pina e a instalação contou também com o apoio de Laura Carrillo.


"José Saramago: 20 anos do Prémio Nobel"

Além disso, uma parceria entre o Camões, I.P. e a Fundação José Saramago tornou possível que qualquer instituição, em qualquer parte do mundo, tenha a partir de hoje à sua disposição uma exposição inédita, em português e inglês, comemorativa dos 20 anos do Prémio Nobel de Literatura de José Saramago. 


Com curadoria da FJS e realização do estúdio Silvadesigners, a exposição «José Saramago: 20 anos do Prémio Nobel» é composta por 22 painéis com fotografias de Estelle Valente, textos de Ricardo Viel e ilustrações de Gonçalo Viana que, em conjunto, traçam um panorama da atribuição do máximo galardão das Letras ao autor de Todos os Nomes.


A I Catedra Internacional José Saramago tem muito gosto em poder exibir esta exposição, no âmbito das III Jornadas Internacionais José Saramago da Universidade de Vigo, na Casa das Campás, entre os dias 3 e 5 de dezembro. A entrada é gratuita e aberta a todo o público.



"A passarola"

Finalmente, haverá também uma exposição de cinco obras de animação audiovisual que constituem representações e adaptações livres da passarola de Memorial do Convento, de José Saramago realizados por María Abal Blanco / Ruth Pérez Rodríguez; Laura Carrillo Neira / Bianca Anton Mihaela; Andrea Alonso Casado / Gels Caletrío Rubio / Sarah Espinosa / Yvonne Marielle López Gaus / Alba Velázquez García; Nicolás Vázquez Ben / Adrián García Suárez; e Daniela Lama Rodríguez / Carlota Rivas Corrales / Sheila Santana Rúa.

As cinco animações são o resultado das conclusões iconológicas e iconográficas alcançadas por estes grupos de estudantes da cadeira “Procesos de Animación Audiovisual II” (curso académico 2016-2018) do mestrado “Libro Ilustrado e Animación Audiovisual” (Facultade de Belas Artes da Universidade de Vigo). Trata-se de um projecto de colaboração e de investigação deste mestrado com a CJS que ainda se encontra em curso, uma vez que se pretende editar estas obras em formato DVD.

Cordenador do Mestrado: José Chavete Rodríguez.
Coordenador/a do projeto: Sol Alonso Romera & Fernando Suárez Cabeza.

Sunday, 18 November 2018

Espectáculo poético-musical de Electroplasma: "Do poleiro da sombra"

Se tudo a vãs palavras se reduz
E com elas me tapo a retirada,
Do poleiro da sombra nego a luz
Como a canção se nega embalsamada.
José Saramago

Dentro do marco das III Xornadas Internacionais José Saramago da Universidade de Vigo, que se celebrarán entre os días 3 e 5 de decembro, contarase coa performance poético-musical e audiovisual do grupo Electroplasma. 

Electroplasma é un proxecto formado por Xurxo Nóvoa e Alexandre Soares. Xurxo Nóvoa (Vigo, Galiza) é poeta e fundador do proxecto Guilherme e Bastardo, e Alexandre Soares (Porto, Portugal) é fundador de GNR e Osso Vaidoso. Eelectroplasma é un local itinerante onde se mesturan poesía, música e teatro, e onde a imrpovisación é un sinal de identidade. O Plasma é un dos estados físicos da materia que posúe propiedades bastante diferentes das de sólidos, líquidos e gases. Non posúe forma ou volume e é electricamente condutor. No universo, o plasma é o estado máis común da materia. O electro-plasma é un tipo de plasma que sostén a súa coherencia física grazas aos harmónicos. Pódese consultar máis información na páxina oficial do seu facebook:


A través do seu espectáculo "Do poleiro da sombra", Electroplasma introdúcenos no mundo de José Saramago. "Do poleiro da sombra" é unha performance poético-musical (e visual) na que Electroplasma propón um roteiro cósmico sobre a obra de José Saramago en ligazón coa poesía lusófona e mesmo universal, especialmente con aqueles autores e autoras da Galiza máis próximos da sua constelación literaria e da súa actitude ética. 

Electroplasma invítanos, da forma que segue, ao seu espectáculo, que se celebrará o próximo día 4 de decembro ás 19h00 no Salón X, da Facultade de Belas Artes (Pontevedra):

"Se nos acompanharem nesta passagem, durante uns 60 minutos seremos astronautas a percorrer o universo do Nobel: da Quinta da Broa à Sierra Madre de Chiapas, da faixa de Gaza ao Bundesbank, do Charco Verde e o Timanfaya à sombra das azinheiras sem idade.

Para esta travessia apenas precisam bagagem: vontade de nos encontrarmos e paixão para vivermos na dissidência e no improviso.

            Até breve e boa viagem!".

Sunday, 28 October 2018

Call for Papers "Metalepse e transmedialidade"

O Grupo Intermedialidades do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, organiza um congresso em torno da metalepse como noção transmedial. Pretende-se averiguar como e porquê esta figura está tão presente na literatura e nas artes em geral e analisar as suas muitas formas de funcionamento e de manifestação.



O congresso terá lugar na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, a 4-5 de Abril de 2019, e privilegiará os seguintes pontos de abordagem teórico-crítica:

- O conceito de metalepse: história e teorias;
- Leituras transmediais da metalepse;
- Metalepse e mise-en-abyme, reconfigurações do autor e do receptor, especificidades genológicas;
- Experiências do contemporâneo: a metalepse ontológica na literatura, nas artes visuais, audiovisuais e performativas;
- Metalepse e crise do dispositivo;
- Metalepse e poesia.

As propostas de comunicação, a enviar para o email ilc@letras.up.pt até ao próximo dia 14 de Dezembro, serão apreciadas pela Comissão Científica do Colóquio e deverão incluir os seguintes elementos:

- Nome
- Filiação institucional
- Nota biográfica (±200 palavras)
- Título da comunicação
- Tópico da comunicação
- Resumo (±200 palavras)

Os resultados da apreciação das propostas serão comunicados até 18 de Janeiro.


INSCRIÇÕES

Primeira fase, até 1 de Fevereiro : 100,00 €
- Estudantes: 50,00 €
- Membros do ILC, da Rede LyraCompoetics : 0,00

Segunda fase, de 2 a 25 de Fevereiro: 120,00 €
- Estudantes: 60,00 €
- Membros do ILC e da Rede LyraCompoetics : 0,00

Para mais informações, por favor contacte ilc@letras.up.pt ou visite o site http://ilcml.com/

Sunday, 21 October 2018

Novo número de E-lyra: "O poético e o político"

Já está disponível o novo número da revista E-LyraO poético e o político, organizada por Burghard Baltrusch, Alethia Alfonso, Cristina Tamames e Alba Cid.


Hoje em dia, a relação entre poética e política reveste-se de múltiplos matizes. Não só devido à sua variação ontológica sobre aquilo que criticam, mas também pelas diferenças geo-históricas e culturais, algumas das quais estão representadas neste número. Superando a concepção de “arte política” qualquer restrição temática ou intencional e considerando outras questões, como a adequação enunciativa, a espacialidade ou a actio a ela vinculada, importa dizer que certamente os matizes da relação poética e política são inumeráveis espectros de cinzento, não um branco ou um negro. Expande-se então a ideia de poética e o trabalho do crítico, perfilando uma consideração geral sobre os modos de ler e investigar poesia hoje, ao mesmo tempo que também se torna mais viável entender obras intermediais, o “que fazer” desde o múltiplo. Nesta linha, será necessário questionar uma vez mais a noção de poesia no nosso tempo, prestando a devida atenção ao seu estatuto multifuncional e instável, e operando depois com noções como “poesia não-lírica”ou com a noção de “espaço público”.

Combinando a criação, a atenção teórico-metodológica com a sua aplicação crítica em estudos de caso, ábrese um número plural, polifónico. A filosofia política, a teoria literária, o comparatismo, a hermenéutica e as práticas artísticas convergem em diferentes corpos, espaços ou textos, relacionando  praças públicas, prisões, outridades, oralidade e performance, visões sobre as possibilidades e os efeitos de internet, etc. Acredita-se que esta observação cruzada de práticas e discursos de resistência na actualidade, articulados de modo relacional, permite repensar as correspondências entre poesia e política, diferenciar entre efeitos performativos e eficácia política imediata, ligando tudo isso ao alargamento da concepção do poético. Também este número da eLyra começa com uma secção de textos poéticos inéditos, neste caso ordenados por âmbito sociocultural e linguístico e, dentro deste, de forma alfabética. A secção de estudos começa com uma contextualização teórica e metodológica da relação entre o poético e o político, entre solidão e comunidade na poesia, entre poiesisaisthesise politeia. Como complemento a esta variedade de abordagens, há ainda um inquérito com quatro perguntas a artistas, poetas e investigadores, para que reflectissem sobre a relação entre o poético e o político no seu trabalho. A última secção, “Política do Olhar”, compila fotografias de intervenções e constelações poético-políticas no espaço público, para mostrar a importância dos sistemas de significação não-verbal na interacção e mediação públicas.